Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2011

Outono

Vento frio que acaricia.
Ora afaga, ora castiga,
brisa jovem que logo se transforma.

Perfume lançado ao ar.
Cheiro de uma época, tempo,
essência especial que na agonia se forma.

Sol dourado que agoniza .
Luz que sorri, experiente,
no início do fim de sua própria vida.

Sangue da estação.
Folhas vermelhas caindo,
colorindo o chão com sua velhice elegante.

O tempo que passa.
Épocas que se renovam,
e a Roda nunca para, girando eternamente.

A Vida se despede.
Não há tristeza,
mas certeza de brilho e vigor, luz e calor.

Logo o cinza chegará.
Logo o frio nos envolverá,
mas a Vida retorna logo depois.

O Sol nascerá de novo.
Num futuro próximo
ele aquecerá a Terra com seu sorriso titânico.

Mas agora ele se vai.
Cheio de calma e beleza,
no Outono magnífico, a velhice da Roda do Ano.
Marlon Weasdor, 26/04/2011.

Meme Literário

Bom dia, caros leitores!
Primeiramente gostaria de me desculpar pela demora em postar minhas indicações do Meme Literário.

Em segundo lugar, devo agradecer ao parceiro de palavras, o Fábio, do Folhetim Online, que nesta postagem, me indicou para participar do Meme Literário.

Também devo destacar a importância deste "evento", "corrente", sei lá.
Gosto de saber sobre livros, receber dicas, ou indicar alguns.
O que é bom deve ser divulgado, e é isso.
Em pé sem cair, deitado sem dormir, sentado sem cochilar fazendo força!

Estória de Amor - Parte II

Segunda parte do conto Estórias de Amor. Espero que gostem do final, que na verdade é o começo.

Assim como na primeira parte, recomendo que desçam até o fim da página e ouçam a música que lá se encontra. Ela se encaixa bem nessa parte do conto.

Comentário e opiniões são mais que bem vindos!


Como eu ia dizendo, o início do Amor dos nosso dois personagens foi algo curioso. E um tanto escuro. Já aviso desde já que não é tão bonito quanto o meio.

Na cidade onde eles vivam, há muito tempo atrás, existe um local agradável, alto no meio da cidade, antigo, onde inúmeras pessoas costumam se reunir para se divertir. Apenas isso, sem pretensão. Elas vão até lá e passam noites inteiras conversando, rindo, correndo, gritando, brigando, se divertindo.
E eles estavam lá naquele domingo.

Estória de Amor - Parte I

Primeira parte de um conto levemente açucarado, cuja segunda parte será publicada no dia 5 de Abril, próxima terça-feira.
Este conto terá apenas duas partes, apesar de eu detestar números pares.

Espero que apreciem a leitura, comentem, opinem, critiquem, fiquem à vontade.

Recomendo que desçam até o fim da página e coloquem para rolar a música que lá se encontra, pois ela é a trilha sonora perfeita para esta Estória de Amor.

Planejei contar uma estória de Amor.
Eu sei, muita gente se sente estranho quando o assunto é Amor. Tem gente que já diria "Lá vem uma enxurrada de palavras moles, de água com açúcar, de um blablabla romântico e enjoativo".
É o que eu pensaria.
Mas trata-se de uma estória bonita, e preciso compartilhá-la com todos.

E como contar uma estória de Amor? Por onde começar?
Pelo começo?
É uma boa sugestão.
Mas que tal pelo meio?
É válido, se este meio for bastante bonito.
Então, se me derem licença, começarei pelo meio, e farei do relato mais do que uma simple…